25 de Set de 2017
 
Publicidade:
Seguro DPVAT
 
Pafac
 
Fabio Rações
 
 
05/09/2017
 

Após testes na Bahia, Aedes geneticamente modificados já mostram resultados

Entre os anos de 2009 e 2011, três bairros dos municípios baianos de Juazeiro e Jacobina foram palco de testes para o Aedes do Bem, um mosquito geneticamente modificado. Com o projeto, a empresa britânica Oxitec tem o objetivo de reduzir a população do Aedes aegypti selvagem. Após os testes, que apresentaram resultados de mais de 90% de supressão, o projeto recebeu liberação comercial da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), em 2014. "Os testes foram realizados aqui na Bahia, mas já há municípios com projetos operacionais. A gente já tem a liberação comercial, então os dados já foram validados pela CTNBio. Não resta dúvidas sobre a segurança e os números que a gente atinge. Aqui na Bahia eram três bairros em duas cidades. Houve reduções de 92%, 93% e 99% da população do mosquito selvagem durante esse tempo pré-definido", reforçou a coordenadora de suporte científico da Oxitec, Cecília Kosmann. Atualmente a tecnologia já é utilizada nos municípios de Piracicaba (SP) e Juiz de Fora (MG), além de outros países. Em entrevista ao Bahia Notícias, a cientista explicou o funcionamento da tecnologia, custos para implantação e esclareceu até mesmo "teorias da conspiração" que culpam o mosquito geneticamente modificado pelo surto de zika no Brasil

*Bahia Notícias

 
 
 
Publicidade
Léo Confecções
 
A&B Consultoria
 
JUDÔ
 
 
 
 
 
© Informe Bahia 2013 - Todos os direitos reservados