17 de Out de 2018
 
Publicidade:
Pafac
 
Tá Na Rua
 
Santaluz
 
 
21/09/2018
 

Existência de Caps reduz em até 14% taxa de suicídio nos municípios

A incidência de suicídios é até 14% menos em municípios nos quais existem Centros de Atenção Psicossocial (Caps) – estruturas do Sistema Único de Saúde (SUS) compostas de equipes multidisciplinares que fazem o atendimento a pessoas com problemas de saúde mental.

De acordo com levantamento divulgado nesta quinta-feira (20) pelo Ministério da Saúde, em todo o país, foram registradas 106.374 mortes por suicídio, entre 2007 e 2016. No período analisado, constatou-se um aumento de 16,8% no número total de ocorrências – entre homens, o aumento chegou a 28%.

Somente em 2016, 11.433 mil pessoas interromperam a própria vida. Naquele ano, a taxa de mortalidade por suicídio foi de 5,8 pessoas a cada 100 mil habitantes.

De acordo com a pasta, no ano passado, 109 novos Caps foram inaugurados em 20 estados. O relatório aponta que as tentativas de suicídio por intoxicação intencional, de 2007 a 2017, resultaram em 12 mil internações por ano, que tiveram um impacto de R$ 3 milhões anuais no orçamento público. O valor equivale a recursos que cobririam a implementação de oito Caps a cada ano.

O suicídio é a quarta maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos. Entre os anos de 2011 a 2015, a maior taxa de mortes por suicídios é entre indígenas, com 15,2 casos a cada 100 mil habitantes.

De acordo com o governo, R$ 1,4 milhão foi destinado a projetos desenvolvidos nas Redes de Atenção Psicossocial (RAPS) nos estados do Amazonas, Mato Grosso do Sul, Roraima, Piauí, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, considerados prioritários, por apresentar taxas elevadas de suicídio.

*Bahia Notícias

 
 
 
Publicidade
Prefeitura de Valente
 
A&B Consultoria
 
Léo Confecções
 
 
 
 
 
© Informe Bahia 2013 - Todos os direitos reservados